quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Pensamentos Avulsos: Coisas da Vida

O tempo tem passado, senhora vida... Tem passado e você ai, de frente para mim me cobrando tanta coisa que chega a dar vontade de desistir. Tá, eu não chego desejar tanto, mas poxa, poderia ser uma pouco mais clara e coerente, né não?! 
Não, eu não quero uma bola de cristal ou o "mapa da mina" para saber exatamente para onde ir e de onde fugir, a quem permitir e a quem negar proximidade, quando dizer sim e quando dizer não. Só quero clareza e coerência, por favor! 
Você é a culpada por essa bagunça, e não venha me dizer que não! Fica ai dando sorrisos e fazendo a todos bem vindos, mas não é assim não pode ser assim porque, no fim, você continua ai exatamente assim e eu? 
Você tem dado umas voltas bruscas sem pedir permissão, deve estar interessada na minha atenção, só pode! Mas, querida, eu sempre te tratei tão bem, com todo cuidado e você em troca me dá rebeldia me levando para lugares e pessoas que não deviam aqui ter entrado. 
Você vida, não devia ter feito isso porque agora vai demorar pra gente fazer as pazes, vai demorar pra eu passar por cima dos seus rastros cruéis. 
O quarto escuro e o calor do edredom me pareceu suficiente por um tempo para sofrer, mais uns dias e a vontade de gritar pro mundo, como uma roda gigante que insiste na contradição me fez sentir o mesmo, mas nada tem colaborado para que eu consiga de vez apagar o que você fez.
Sei lá, de repente, eu esteja exigindo demais de você. Não há como apagar o que você deixou acontecer, não existe um meio, eu não conheço. Melhor eu parar por aqui, parar de reclamar de você e reconhecer seu lado bom, não é mesmo?! 
Ok! Façamos as pazes e voltemos a nos dar bem... não faça mais isso (ou faça, eu não posso lutar contra mesmo!) e vamos com calma porque não sou tão forte como dizem, como pensam, como sentem.