terça-feira, 21 de outubro de 2014

Pensamentos Avulsos: Não me dê presente, me dê abraços

Sim, todas as minhas aflições cabem em um abraço.
Tenho mania de abraços demorados.
Existem os de desculpas, os de amizade, os de pai, os de mãe...
Aqueles por obrigação, por pena, por charme.
Os de consolo, de comemoração, de interesse...
Os de amor, os que a gente pensa que são de amor, os de amor que findou.
Abraços de despedida, de boas vindas, coletivos, no travesseiro.
Eu prefiro os demorados.
Demorado ao ponto de ouvir o coração, sentir o toque das mãos, o arrepio nos ombros por causa da respiração.
É nesse abraço que cabem minhas aflições, medos, paixões...